quinta-feira, 30 de maio de 2013

UM ESCÂNDALO: DOENTES CABOVERDIANOS EVACUADOS NÃO RECEBEM HÁ 4 MESES

PARTILHAR
 

Cabo Verde Directo
 
Ao mesmo tempo que sobrevivem em situações de indignidade na capital lisboeta, a embaixadora Madalena Neves ostenta uma vida de luxo à conta do erário público e os serviços da embaixada revelam a mais absoluta insensibilidade
 
A vida dos doentes evacuados em Portugal nunca foi fácil, desde as precárias condições de alojamento em pensões miseráveis (na foto), algumas delas à margem da legalidade, com várias pessoas amontoando-se num mesmo quarto, cozinhando refeições no mesmo espaço quando o dinheiro chega para meter alguma coisa na panela, e em condições várias vezes inadequadas para as patologias de que enfermam, a que se acrescentam os consecutivos atrasos no pagamento de subsídios por parte do Estado, e que neste momento já vão em 4 (quatro) meses. E o desrespeito é o traço central com que os serviços da Embaixada em Lisboa tratam os doentes evacuados, inclusive, não fornecendo qualquer informação sobre a natureza do atraso.

Propaganda

Inaugurado com pompa e circunstância em Abril de 2012 pelo Primeiro-ministro, o Centro de Acolhimento instalado pelo Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) no município português de Loures (arredores) de Lisboa, ao contrário da promessa de Leonesa Fortes de que iria “conferir maior dignidade aos que mais precisem e com mais dificuldades e mais necessitados”, manifesta-se muito aquém das necessidades dos evacuados e revela-se, mais de um ano depois, de utilidade prática duvidosa. E as promessas de então não foram minimamente cumpridas, nomeadamente aquela do fim dos atrasos no pagamento dos subsídios, que mereceu até a assinatura de um protocolo entre o INPS e a Caixa Geral de Depósitos para a introdução de um cartão de débito recarregável apresentado como a panaceia para o fim dos atrasos.

Neste momento, não fora a solidariedade de portugueses e de pessoas da nossa comunidade residentes em Lisboa, os doentes evacuados estariam mesmo a passar fome. Isto, ao mesmo tempo que a Embaixada em Lisboa os trata com a maior das desumanidades e a embaixadora Madalena Neves é conhecida pela vida de luxo que leva na capital portuguesa à conta do erário público (um assunto a que voltaremos em breve).

(foto de arquivo CVD)
 
PARTILHAR

Author: verified_user

0 comentários: